Homem confessa ter matado a esposa após discussão por Libertadores, diz PM.

Rene Luiz Fernandes, tio de Érica, disse que a família dela "nunca presenciou qualquer briga, agressão entre eles, nem soube de relatos de brigas".

Uma mulher foi encontrada morta dentro do apartamento em que vivia com a família, no bairro de alto padrão São Domingos, na zona norte de São Paulo, no último domingo. Segundo a PM (Polícia Militar), Leonardo Souza Ceschini confessou ter assassinado a esposa, Érica Fernandes Ceschini, após uma discussão sobre futebol. Ela era palmeirense, e ele, corintiano. O crime teria ocorrido após o casal chegar em casa depois de uma comemoração pelo título alviverde na Libertadores da América.

Enquanto participavam da comemoração, Leonardo e Érica deixaram os filhos gêmeos, de 2 anos, com os primos dela no apartamento. Depois que o casal chegou, os meninos ficaram dormindo no quarto, e os parentes foram embora.

Horas depois, a mulher foi encontrada morta sobre uma poça de sangue. Segundo a polícia, a vítima, que trabalhava no ramo de produtos médicos e hospitalares, parecia ter “lesões nas pernas e costas, aparentemente por instrumento cortante, sendo que havia uma faca próxima a ela”. Os gêmeos, até a noite desta terça, não sabiam do assassinato da mãe.

 

Três versões do crime O B.O. (Boletim de Ocorrência), apresenta três versões do ocorrido. O primeiro relato feito pelo policial que atendeu a ocorrência indica que a mulher havia tentado matar o marido e, em seguida, tirado a própria vida no interior do apartamento.

Já Leonardo, que estava ferido no abdome, contou inicialmente aos policiais que “Érica o atacou com a faca, atingindo-o no abdome, e cometeu suicídio”. Mas logo em seguida, segundo a PM, o corintiano mudou a versão. “[Após ser atingido] Ele [Leonardo] conseguiu tomar-lhe a faca e desferir vários golpes que causaram a morte dela, entendendo [ele] que acabou se excedendo”, informou a polícia.

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui