Polícia Civil faz buscas em presídios para identificar mandantes de ataque a ônibus escolar em Lajeado

Veículo foi incendiado em garagem da prefeitura em abril deste ano. Os dois autores foram identificados e teriam agido sob ordem de uma facção criminosa.

Uma operação está sendo realizada pela Polícia Civil nesta quinta-feira (10) em presídios do Tocantins para tentar identificar quem ordenou o ataque a um ônibus escolar em Lajeado, em abril deste ano. Na época do ataque dois suspeitos foram identificados e a polícia descobriu que eles estavam agindo sob ordem de uma facção criminosa.

A investigação é realizada pela 1ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (Deic – Palmas). Os mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em alas da Unidade de Segurança Máxima de Cariri, Unidade Prisional de Gurupi e no presídio do Barra da Grota em Araguaína. Mandados de busca também foram cumpridos em Lajeado.

O delegado Hismael Athos informou que o ônibus foi incendiado intencionalmente em uma garagem da prefeitura. Uma carta feita a mão foi encontrada no local do ataque e o texto dizia que o incêndio ocorreu em protesto pelas condições dos presos do presídio de Gurupi.

Ainda segundo a polícia, depois do incêndio dois homens de 18 e 23 anos foram identificados como autores do ataque. Só que a Justiça deixou os dois livres, sem medidas cautelares ou uso de tornozeleira eletrônica. Eles não possuíam passagem pela polícia e teriam sido aliciados pelo grupo criminoso.

As investigações apontam que o ataque foi ordenado após a Polícia Penal transferir presos de Palmas para o interior do Tocantins.

A operação desta quinta-feira (10) contou com o apoio do Grupo de Operações Táticas Especiais (Gote), das 8ª e 3ª Deic’s de Gurupi e Araguaína, e da 69ª DP de Tocantínia, totalizando 70 policiais civis. De acordo com o delegado Hismael Athos a ação tem como objetivo frear as ações violentas das facções.

Comentários do Facebook

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui